Escavação Romana

Na intervenção arqueológica conduzida pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Braga, em 1996, realizada no contexto da última remodelação do edifício, foram identificados resto de estruturas pertencentes a uma domus (casa) romana, datada do baixo-Império, Séculos III/V d.C.
As ruínas correspondem a um corredor de circulação, que se abre a poente através de uma porta a um amplo compartimento, dando igualmente passagem a outros dois corredores, um dos quais definido por duas bases de coluna.

Na parte nordeste do corredor do corredor situa-se um compartimento aquecido por sistema de hipocausto com colunelos, o qual revela que esta habitação dispunha de banhos privados, à semelhança de muitas outras identificadas em Bracara Augusta.

As ruínas encontram-se conservadas in situ e musealizadas, sendo possível visioná-las através de um pavimento de vidro existente no interior do estabelecimento.